Navegar por categoria

Educação Infantil

Educação Infantil

Educação Livre e Ativa e Comunidades Educadoras.

A importância da presença dos pais no desenvolvimento infantil tem sido cada vez mais discutida. A correria do dia-a-dia e a necessidade de trabalhar fazem com que as crianças sejam inseridas em creches e escolas cada vez mais cedo, muitas vezes durante o dia todo, longe dos pais e sem a atenção individual tão necessária na primeira infância.

Com o passar do tempo foram surgindo propostas pedagógicas que buscam soluções para esses problemas e também para os problemas da escola tradicional, que se coloca como modelo absoluto de educação, além de único caminho para a ascensão e o prestígio social, uma visão ultrapassada e que precisa ser repensada.

Como alternativas para a primeira infância surgem projetos de Educação Livre e Ativa e Comunidades Educadoras, que buscam uma maior (ou total) participação dos pais e da comunidade, além de deixar as crianças livres, em contato com a natureza e o meio que as cercam, possibilitando muitas descobertas, curiosidades e brincadeiras, humanizando o processo de aprendizagem.

Rio Kids Jardim do Joá

Rio Kids Jardim do Joá

Escola de Educação Infantil Eva Santos

Para entender mais sobre esses trabalhos vale a pena conhecer a iniciativa do Projeto Jardim do Joá, que funciona como uma alternativa às escolas formais ou como um contra-turno, dependendo da escolha dos pais (http://bit.ly/jardimdojoa) e também a EEI Eva Santos, a primeira escola pública a se tornar uma Comunidade de Aprendizagem em Educação Infantil do Brasil (http://bit.ly/comunidadedeaprendizagemevasantos).

Nesse sentido, legitimamos a Educação Livre e defendermos seu espaço entendendo que não podemos desistir da ressignificação da Escola Pública. Não podemos perder de vista sua importância social e nem naturalizar os erros que vêm ocorrendo. É preciso pensar nas famílias trabalhadoras que não têm o privilégio de ficar 24h por dia com seus filhos e no acesso à educação de qualidade, que deve ser irrestrito, atendendo todas as crianças, independente do meio social.

Hoje existem mais iniciativas privadas, como o Jardim do Joá, do que públicas seguindo esse projeto de educação, mas o exemplo da EEI Eva Santos nos mostra que é possível sim fazer diferente. Queremos então lutar para que essa nova forma de educar se torne base de políticas públicas, fazendo com que essa opção não se restrinja apenas às famílias de alta renda.

Defendemos uma escola pública que valorize e invista no trabalho do professor e na educação integral de nossas crianças, que não seja apenas um “depósito” onde elas ficam enquanto os pais trabalham. Uma escola que trabalhe em liberdade e colaboração, permitindo que as crianças, as famílias e os educadores sonhem e aprendam: JUNTOS.